Texto para Discussão - Volume 66

Print
There are no translations available.

TxT_66_capa_minusLançado mais um número de Textos para Discução que trata do uso de maquetes e modelos reduzidos na formação de especialistas em conservação. O Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada - CECI, desde 2003, tem utilizado maquetes na formação especializada para a gestão de obras e serviços de manutenção, conservação e restauro de edificações de valor cultural.

Texto para Discursão 66 - maquetes

A prática de fazer componentes construtivos em modelos reduzidos é tão antiga quanto a história da construção de edificações. Os modelos reduzidos tinham a capacidade de demonstrar aos profissionais as possibilidades funcionais que se desejava obter. Essa conduta sempre foi considerada como uma boa prática da construção, pois, em princípio, se garantia o êxito da mobilização dos recursos materiais, humanos e financeiros num empreendimento. Inclusive, a prática de Gaudí na construção da Catedral Sagrada Família (Barcelona), de fazer de modelos reduzidos dos componentes e ambientes, continua sendo utilizada pelos atuais responsáveis das obras. Na França, museus como Hôtel des Invalides, Orsay guardam preciosidades de maquetes de edificações históricas. Evidentemente que o avanço das matemáticas no âmbito do cálculo estrutural e o surgimento das modelagens digitais acarretou uma redução dessa prática nos centros de ensino. O Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada - CECI, desde 2003, tem utilizado maquetes na formação especializada para a gestão de obras e serviços de manutenção, conservação e restauro de edificações de valor cultural. No âmbito da conservação do patrimônio em Pernambuco, essa prática é uma herança do mestre José Ferrão Castelo Branco (IPHAN-PE) que se valia de pequenos modelos desmontáveis de tesouras de telhados do período colonial para poder orientar o pessoal da carpintaria que iria trabalhar no desmonte do telhado. O acervo desse mestre foi ampliado, abrangendo na atualidade os principais ofícios tradicionais da construção – cantaria, ferraria, fundição, marcenaria, carpintaria, alvenaria, estuque, pintura. É utilizado durante as aulas presenciais do curso Gestão de Restauro quando, em canteiro didático, as peças podem ser vistas, desenhadas, desmontadas, examinadas em detalhes. Essa estratégia didática, associada à leitura de antigos manuais práticos da construção, vem obtendo resultados satisfatórios na capacitação de profissionais para intervenções em edificações de valor cultural.

Leia outros Textos para Discussão